domingo, 25 de setembro de 2011



Querida Sofia,

desde já peço-te desculpa por ultimamente não te dirigir muita da minha escrita, mas a verdade é que também não tenho escrito muito e nem tenho andado com muita inspiração para fazê-lo. Mas sabes? Ultimamente à alturas em que me sinto tão pequena e invisivel que nem imaginas, ultimamente parece que ninguem liga minimamente ao que eu digo e à alturas até em que começam a falar por "cima" de mim à descarada, e depois quando precisam de alguma coisa já vêm falar comigo todos queridinhos, o que me irrita bastante. Neste momento és a unica "pessoa" que me compreende e que me respeita quando os outros não o fazem. Ainda esta semana, quando estava a falar com a minha melhor amiga ela disse-me que não gostava nada que fizessem apostas sobre ela e eu fiquei a olhar com cara de parva para ela e apenas lhe consegui dizer que também não gostava nada quando faziam apostas sobre mim e que a minha melhor amiga já o tinha feito, e sim a "melhor amiga" de quem estou a falar é ela mesmo, se ela percebeu ou não eu não sei, mas a verdade é que também não fiquei minimamente interessada, mas que é preciso ter lata para vir com aquela conversa para cima de mim é. Bem, também não te quero chatear mais com as minhas coisas, por isso espero que te estejas a divertir onde quer que estejas neste momento, pelo menos mais do que eu. Um grande beijinho,

                                                                                                                         Filipa.

(A Sofia não existe na realidade, existe apenas dentro de mim, mas que por vezes parece que tem vida e que como eu e qualquer pessoa parece que tem pensamentos.)

6 comentários: